Imagem capa - Por que pais que namoram criam filhos mais felizes por Ivna Sá Produção Fotográfica
Pais e filhos

Por que pais que namoram criam filhos mais felizes

Pais que namoram? Isso é uma lenda, uma brincadeira ou um conto de fadas? Não é nada disso, é uma constatação real e de muita relevância. Você já sentou em um restaurante e reparou como é diferente o comportamento de um casal de namorados, de um casal de casados e de um casal com filhos? No primeiro exemplo, eles sentam juntinhos, trocam carinho, sem pressa...No segundo, a depender do tempo de casados, sentam-se do mesmo lado, mas na maioria das vezes é um de frente para o outro. E no terceiro...


No terceiro tipo de casal é um Deus nos acuda. A criança faz pirraça para comer ou não para de correr de um lado para o outro; o filho adolescente fica olhando pra gente com aquela cara de “não suporto mais esse programa nada a ver”; sempre tem um cocô que chega na hora mais inapropriada do mundo. E lá vamos nós procurar um banheiro ou fraldário. Quando se tem outro casal de amigos juntos no programa, a gente até tenta conversar um assunto com início, meio e fim. Que ilusão! Haja capacidade de retornar ao assunto a cada manhê, paiê ditos calculadamente de 10 em 10 segundos.  Por vezes, um jantar assim é tão cansativo que a melhor solução é: “garçom, fecha a conta”.


E quando chega em casa? Ops, antes de chegar em casa, tem o trajeto do restaurante até a casa. Nessa hora, quando se tem irmãos, parece que o manhê, paiê mesclado a choros de sono e qualquer outro motivo que a criança precisa encontrar, passam a ser de 5 em 5 segundos. O portão da garagem fecha. Finalmente chegamos e vamos descansar...Que nada! O próximo turno começa. Um ajeita a criança, o outro pega o celular ou liga a TV. Quem deitou com a criança dormiu por lá mesmo, até acordar de madrugada e ver que estava na cama errada. O outro pode ser que dormiu na sala de TV, resolveu colocar em dia a série de filmes que estavam atrasados, e quando foi pra cama já era de madrugada. O dia amanheceu e bem cedindo nossos filhos estão lá cheios de energia com aquele “bom dia papai e mamãe”. Começa novamente aquela rotina louca, estressante e que vai, dia-a-dia, retirando da vida do casal aquela palavrinha chamada NAMORO.


E quando falo NAMORO refiro-me a algo muito além da relação sexual, embora a rotina familiar também diminua em muito a vida sexual do casal. Estou falando de tempo para uma conversa de qualidade, de um cafuné bem dado, de um toque certeiro, de se fazer juntos aquilo que se fazia no tempo de namoro e que causava tanto prazer em ambos. Posso apostar que enquanto você lê, já vai relembrando desses momentos e sentindo saudades!


Veja bem! Não estou dizendo que os filhos são ameaças a felicidade do casal. Muito pelo contrário, o que seria de nós sem eles, o que seria da gente sem aquele olhar que quando cruza o nosso o mundo simplesmente para? Estou dizendo apenas e com toda certeza de que muitos casais ou quem sabe até eu ou você tenhamos nos tornado junto de nossa mulher ou marido, exímios administradores de lar. Conversamos de contas, de viagens, de trabalho, de escola de filho, de comportamento de filho, mas há muito não conversamos sobre nós. Há muito não temos um tempo exclusivo para nós... Há muito não surpreendemos o outro com um presente que lhe causaria muita satisfação. Há muito não inovamos, criamos, ousamos renovar o amor que ficou ali engessado numa fotografia do dia do casamento.


E sabe o que é pior? É que essa falta do namoro, do elogio sincero, do tempo necessário para que prestemos mais atenção um no outro, na maioria das vezes, se converte em um desgaste familiar tão grande, podendo tornar a convivência quase intolerável.  E quem acaba pagando a conta da nossa impaciência e cansaço são os próprios filhos. Casais que namoram criam filhos mais felizes simplesmente porque NAMORAR faz bem para a alma, para a autoestima, para alimentar o amor, ainda que no trabalho, nas finanças e na dinâmica da vida, esteja tão difícil caminhar.


Eu aprendi essa lição, ou melhor, eu e meu marido aprendemos por ocasião da chegada de nossa segunda filha. (Muito importante: temos três e somos muito felizes). Era o ano de 2010, nossa segunda filha estava com 1 aninho, eu estava à beira de uma estafa sem saber administrar carreira e maternidade.  Meu marido e eu nos perdemos na tal administração do lar e da empresa em que somos sócios. Foi necessário que a nossa ajudante, um anjo que há 10 anos está conosco e que representa um dos maiores tesouros que a nossa família já recebeu, dizer assim: “Ivna, separe um dia da semana para você e o Toninho (meu Antônio) saírem para namorar. Eu vou dormir aqui com as crianças para vocês terem um tempo apenas para vocês. Aprendi com minha ex patroa que pais que namoram criam filhos mais felizes. As meninas precisam de vocês mais felizes.”


E assim foi...Saíamos pra namorar todas as terças-feiras. Que tempo bom!!! No início foi complicado reaprender a namorar. A gente usava a terça-feira a noite pra fazer a compra do mês, sentávamos um restaurante e não conseguíamos ficar nem um minuto a mais do que o tempo de comer, falava de trabalho e menino o tempo todo...As meninas gostavam que a gente saísse, não havia pirraça. Eh, acho que, de fato, estávamos mais felizes e essa felicidade respingava nelas. E não é que esse texto me fez refletir que, depois do terceiro filho, a gente bem que está merecendo uma nova temporada do episódio “pais que namoram criam filhos mais felizes”. Não seria nada mal.


PLUS: *Preciso contar só mais essa: escrevi esse texto num domingo à tarde, quando meu marido dormia com meu caçula e as duas mais velhas viam alguma youtuber dessas da moda. Quando acordam, meu marido senta à mesa da cozinha, pega um café e eu resolvo ler o texto pra ele. Acreditem, foram 6 interrupções da filha do meio e do caçula. O telefone tocou e meu marido precisou sair pra resolver um problema de família. Não consegui ler o texto. 


#fazparte #pacotecompleto #agenteéfelizdetodojeito


Ivna Sá é casada, mãe de três crianças, autora, professora universitária e fotógrafa de famílias há 11 anos, profissão que descobriu com o nascimento da primeira filha. Há quatro anos se dedica ao universo feminino com a criação da marca Ivna Sá Para Mulheres e, publica, semanalmente em seu canal do YouTube vídeos voltados para o público feminino e materno.


http://www.ivnasa.com.br/

http://www.ivnasaparamulheres.com/

Conheça o meu canal no YouTube